7 passos para começar a automatizar o envio de e-mails

A automação de marketing ainda é relativamente nova, com apenas 4% das empresas utilizando softwares de automação de marketing. Mesmo assim, a categoria está crescendo porque as empresas estão percebendo seus benefícios. Entre os inúmeros pontos positivos dessas plataformas, automatizar o envio de e-mails ajuda muito a otimizar um processo que manualmente levaria mais tempo.

De acordo com a VentureBeat, as empresas que utilizam automação de marketing estão registrando um aumento de 80% em leads e 77% nas conversões. A automação de e-mail marketing garante um maior controle por parte da equipe e deixa tempo livre para pensar em formas de aprimorar cada etapa do funil de vendas.

Embora os benefícios sejam muitos, muitas vezes é um desafio para as empresas se adequarem rapidamente com a automação de marketing.

Neste post, vamos guiá-los por 7 etapas essenciais para começar a automatizar o envio de e-mails, para que você possa começar a transformar estranhos em leads e leads em clientes, automaticamente.

Passo 1. Centralize e organize seus contatos

O primeiro passo para automatizar o envio de e-mails é centralizar todos os seus contatos em um só lugar. Isso pode demorar um pouco ser organizado, mas você gastou muito tempo e dinheiro adquirindo esses contatos certo? Use esta lista para procurar em todos os lugares que você possa ter nomes de contatos e endereços de e-mail espalhados como:

  • Cartões de visita das feiras que você participou
  • Listas do seu provedor de e-mail
  • E-mail em listas de papel de um evento recente
  • Múltiplas planilhas arquivadas em seu HD

Depois de reunir todos os seus contatos, importe-os para seu software de automação de marketing e segmente cada grupo com critérios importantes para o seu negócio.

Passo 2. Conheça seus visitantes

Nesta etapa para automatizar o envio de e-mails, seu objetivo é obter uma compreensão mais profunda do seu público e como você pode alcançá-los de forma mais eficaz. Sites como Quantcast e Google Analytics fornecem uma riqueza de informações sobre os visitantes do seu site.

Não tem o Analytics ainda? Aprenda como colocar o Google Analytics em seu site com as dicas deste post.

À medida que você mergulha na análise, preste atenção especial a:

  • Demografia. Qual é a faixa etária da sua audiência? Gênero? Isso importa porque a conversa com uma mulher de 48 anos é incrivelmente diferente daquela que você tem com um sujeito da faculdade de 19 anos.
  • Interesses. Eles gostam de filmes? De viagem? Em que áreas eles trabalham? Os interesses do seu público dão uma visão de onde eles estão e, potencialmente, são os melhores lugares para anunciar.
  • Geografia. Onde estão localizados? Qual idioma eles falam? Digamos que você descubra um grupo de clientes em outro estado, que são absolutamente loucos pelo seu produto. Realizar um evento nesta localidade, pode crescer seu negócio e sua marca.
  • Tecnologia. Que navegadores eles usam? Quais dispositivos possuem? Imagine que 87% dos visitantes do seu site o acessem através do Safari em seu iPhone, mas o site não é otimizado para celular. Um redesign com layout responsivo é mais que necessário para proporcionar uma navegação adequada.

Há muito a aprender sobre o seu público atual. O próximo passo é preparar o caminho para as pessoas se conectarem com você no futuro.

Passo 3. Capturar leads de seus formulários

Esta etapa é sobre como facilitar a inserção no banco de dados de contatos que você acabou de criar, configurando formulários para capturar novos leads.

Formulários em vários lugares como: newsletters, landing pages que oferecem algo gratuito, páginas de Contato no site e mais. Os formulários é que capturam as informações das pessoas para construir sua lista de e-mails.

Muitas plataformas de automação de marketing tem o recurso de criar landing pages e formulários para encaminhar as informações de contato direto em seus sistemas.

Você centralizou seu banco de dados, conheceu seu público e configurou seus formulários para capturar novos leads – finalmente é hora de enviar seu primeiro e-mail.

Etapa 4. Envie seu primeiro e-mail

Existem vários tipos de e-mails que você pode enviar: e-mails de boas-vindas, e-mails de qualificação, e-mails de reativação, e-mails de avaliação, newsletters e a lista continua. O que é importante agora é começar simples e descobrir o que realmente gera resultados.

Portanto, não se trata apenas de automatizar o envio de e-mails para facilitar. É preciso ficar atento ao retorno que eles geram ou não.

Se você já enviou um boletim informativo, experimente criar um conjunto de newsletters e siga estas 4 dicas para aumentar a taxa de abertura de email marketing. Ou talvez, o melhor melhor seja se re-engajar com pessoas que ainda não compraram seus produtos ou serviços enviando um e-mail com um assunto de e-mail impactante.

A seguir, falamos de uma estratégia para valorizar seus leitores e aumentar sua lista de e-mail durante o processo.

Etapa 5. Crie mais leads com conteúdo exclusivo

Conteúdo exclusivo é qualquer conteúdo que o leitor recebe em troca de lhe dar seu endereço de e-mail. Eles geralmente são ebooks, whitepapers, infográficos e relatórios que são atraentes e valiosos o suficiente para que os leitores possam dar acesso a sua caixa de entrada, para que você possa nutrir o relacionamento ao longo do tempo. Aqui está um exemplo para ilustrar:

Digamos que você venda churrasqueiras. João acessa seu site porque seu grill começou a fazer barulhos estranhos. Ele não está querendo comprar agora, mas ele começou a olhar, apenas no caso.

Na sua barra lateral, há uma oferta para um ebook chamado “18 temperos secos que você precisa experimentar” em troca de um endereço de e-mail. Ele se inscreve porque os temperos secos são seus favoritos.

Agora, o endereço de e-mail do João está no seu banco de dados para que você envie conteúdo relevante e personalizado para ele ao longo do tempo. Até que um dia, ele esteja pronto para comprar seu próximo grill. Esse é o poder do conteúdo exclusivo.

Passo 6. Inicie uma jornada de conversão

Uma jornada de conversão é quando um cliente entra em uma sequência de vendas, como se inscrever para um teste de software gratuito por 30 dias. Os pontos de contato e as interações nessa jornada são para habilitar, ativar e converter esse lead em um cliente.

A lição aqui é que a definição do que é sucesso, é a chave para criar uma jornada de conversão eficaz.

  • É quando seus leads se inscrevem para uma demonstração com um vendedor?
  • É quando eles visualizam uma determinada página em seu site?
  • É quando atingem um determinado marco no uso do seu produto?

Uma vez que você tenha definido o marco chave de sucesso que leva a uma compra, trabalhe para descobrir as etapas da jornada de conversão que levam até lá.

Passo 7. Use dados para acelerar o seu desempenho

Tomar decisões sem dados é como disparar uma flecha no escuro – você não sabe onde está acertando. Os dados corretos podem dar uma visão sobre o que está funcionando e o que não é tão bom. Assim como mostrar onde investir recursos e fazer mudanças.

Concentre-se nessas métricas enquanto descobre os melhores ajustes para sua estratégia de automação de marketing:

  • Número total de contatos: toda pessoa em sua equipe de marketing e o time executivo devem conhecer o tamanho do banco de dados de marketing. Certifique-se de definir metas trimestrais/anuais para crescê-lo!
  • Número de pessoas em cada segmento do banco de dados: qual é a repartição numérica dos segmentos que você criou na etapa 1? Qual porcentagem são os clientes? Leads? Ou que já estão na jornada de nutrição de leads?
  • Taxas de abertura e clique do e-mail: quais tipos de linhas de assunto de e-mail estão recebendo as melhores taxas de abertura? Que chamadas para ações estão recebendo o maior número de acessos? Você deve obter taxas de abertura de 10% a 20% quando enviar para todo o banco de dados (mais, se para segmentos específicos) e, normalmente, 3% a 8% daqueles que abrem o e-mail irão clicar. Preste atenção em que tipos de comunicação e conteúdo seus contatos estão respondendo.
  • Engajamento no blog e no site: qual conteúdo está gerando mais tráfego? Use a análise do Google para determinar quais páginas do site ou postagens de blog são mais populares (ou não tão populares) com seu público, observando o número de visualizações de página, tempo no site e taxas de retorno.
  • Métricas de mídia social: ferramentas de monitoramento de redes sociais podem mostrar suas postagens mais populares e menos populares pelo número de comentários, curtidas, cliques e compartilhamentos que elas recebem. Isso ajuda você a entender o que seu público quer ver mais. Existe um tweet específico que foi viral? Faça mais desse tipo.
  • Taxa de cancelamento de inscrição: qual porcentagem de pessoas estão se desinscrevendo da sua lista de e-mail? Se você estiver vendo taxas de cancelamento de inscrição superiores a 0,3%, então você precisa reavaliar sua freqüência e conteúdo de enviado.
  • Taxa de conversão: qual é o objetivo que você criou para a jornada de conversão na etapa 6? Quais são os ajustes que você pode fazer para chegar mais perto do dele?

Você tem um passo a passo nas mãos, mas que tal aprender um pouco mais sobre como automatizar o envio de e-mails com quem é expert no assunto?

Abaixo, você confere um depoimento exclusivo de Bruno de Oliveira, CEO da Servmarket, uma agência especializada em estratégias de inbound marketing.

bruno-oliveira-automatizar-emails“Antes de pensar em fluxos de automação que gerem ótimas receitas para a empresa, que tenham taxas de abertura e cliques extraordinários, o primeiro passo é mapear a jornada de compra do seu lead e o seu processo de venda. Toda empresa tem suas particularidades na hora de fazer uma venda. Por exemplo, uma indústria geralmente necessita financiar o equipamento que deseja vender e isso também prolonga o ciclo de vendas.

Pensando nisso, observamos que existem margens para um declínio na venda, pois a aprovação do financiamento pode sair e o cliente desistir por algum motivo em particular. Pode até mesmo desistir por causa da insistência do vendedor que não soube fazer uma boa abordagem.

Sendo assim, o primeiro passo é pensar na estrutura da automação, criando um fluxo de entrada de aprendizado e descoberta para entreter o prospect, sempre com gatilhos que o direcionam para os próximos fluxos como:

  • Indo para reconhecimento do problema que fará com que o lead identifique os possíveis problemas que possa ter;
  • Consideração da solução onde procura descobrir as possíveis soluções para resolver aquele problema que tenha;
  • Decisão de compra que é quando está interessado no seu produto e passa a ser atendido pelo vendedor.

Como nem sempre se resulta em venda, precisamos pensar no fluxo de objeções que tem como objetivo identificar a razão pelo qual o lead foi marcado como perdido pelo vendedor. E seguir um caminho focado naquele problema até estar pronto para a compra.

Caso ainda assim não tenha resultado em uma nova tentativa, pensar em um fluxo de descarte para manter a base higienizada.

E quando o lead decide pela compra, nada melhor do que colocá-lo em um fluxo de retenção e crosseling.

E depois de ter a estrutura pronta, aí sim analisamos métricas como taxas de abertura, experiência do lead no fluxo, o quanto cada passo teve de retorno, a quantidade de leads que percorreram a automação e resultaram em vendas, para realizar as possíveis otimizações.”

A LAHAR oferece soluções completas de inbound marketing para você gerar leads e convertê-los em clientes. Você encontra tudo o que precisa para sua estratégia de marketing digital em uma única ferramenta. Mídias sociais, landing pages, automação de marketing e muito mais.

Entre em contato com a nossa equipe e saiba como podemos ajudar sua empresa a encontrar clientes.