6 dicas para ter uma gestão eficiente no seu pequeno negócio

Já caiu por terra a ideia de que pequenos negócios não exigem grandes esforços ou conhecimentos no que se refere à conquista de uma gestão eficiente

Pelo contrário, gerir um pequeno negócio requer muita estratégia e muita cautela para a conquista e manutenção de uma saúde financeira.

Se você deseja ser um bom gestor, veja nos próximos tópicos algumas dicas para não errar em suas tarefas e desafios cotidianos. 

Priorize o planejamento e a organização

Não há gestão eficiente sem planejamento e organização. Isso significa que você precisa definir suas metas e como pretende atingi-las.

Pense em objetivos de curto, médio e longo prazo e tenha-os sempre em mente na definição de estratégias de mercado e na tomada de decisões.

Além dos seus objetivos, o seu planejamento estratégico precisa levar em consideração informações sobre o segmento de mercado em que seu negócio está inserido e as projeções específicas da sua empresa

Para isso, você precisa fazer um estudo detalhado sobre a atuação de seus concorrentes e seguir os indicadores mais relevantes de acordo com as suas metas.

Faça projeções financeiras baseadas nas tendências do mercado e nos resultados obtidos pela sua empresa.

E não se esqueça de contar com planos bem definidos não só na área financeira, mas também para os diversos setores da empresa: marketing, estoque, vendas, entre outros. 

Por fim, cabe dizer que uma gestão bem executada nunca deve se basear somente na intuição ou experiência do gestor.

Há muitas variáveis a serem consideradas e, para utilizar as informações disponíveis a favor do seu negócio, você precisa ter o planejamento como primeiro passo. 

Promova um controle de desempenho

Como está o desempenho dos colaboradores e dos recursos técnicos com os quais você conta em sua empresa?

Uma gestão eficiente está diretamente ligada a essa variável. Ou seja, é preciso que exista uma sinergia que coopere com o atingimento dos objetivos do seu negócio.

Você precisa contar com os recursos adequados e com colaboradores capacitados e motivados. 

Portanto, ouça o que seus colaboradores têm a dizer, invista na comunicação interna e promova capacitações para mantê-los sempre atualizados. 

São os colaboradores que podem apontar possíveis dificuldades técnicas e inadequações ou falhas de equipamentos, além de trazerem ideias inovadoras que podem ser peças-chave para o crescimento do seu negócio.  

A partir dessa interação com a sua equipe, você consegue não só ter acesso às reais informações sobre o desempenho dos diferentes setores do seu negócio, mas também garantir que todos eles funcionem satisfatoriamente. 

Sendo a sua empresa um pequeno negócio, o acompanhamento do desempenho e do passo a passo para alcançar metas pode ser feito de maneira mais próxima. 

Ainda assim, você pode, deve e precisa utilizar a tecnologia a seu favor. Mas este é um assunto para outro tópico.  

Não misture as finanças empresariais com as pessoais

Esta é uma regra fundamental: não confunda as contas do seu pequeno negócio com as suas finanças pessoais.

Este é um erro fatal cometido por muitos empreendedores, justamente por acreditarem que o controle financeiro de uma pequena empresa é simples e que é possível promovê-lo sem separar as movimentações financeiras da empresa em relação às suas próprias. 

Não acredite nisso. Ao misturar essas duas variáveis financeiras você perde o controle da sua gestão e pode até levar a sua empresa à falência.

O primeiro passo da boa gestão é o planejamento. Mas, para conseguir planejar as finanças empresariais, você precisa ter dados claros e precisos sobre as entradas e saídas financeiras

Isso é impossível quando a conta bancária da empresa é também a conta bancária pessoal do gestor.

Ainda que estejamos falando do seu próprio negócio e que você tenha uma “eupresa”, a conta da empresa precisa ser algo à parte das suas finanças pessoais.

Então, pense em si mesmo como um funcionário, que deve receber um salário ou pró-labore, sendo este custo uma das saídas financeiras fixas da empresa. 

Só assim você vai se livrar do risco de perder o controle financeiro empresarial e, até mesmo, o controle das suas próprias finanças.

Seja cauteloso ao precificar os seus produtos ou serviços

A precificação de produtos e serviços é um dos grandes desafios dos empreendedores, sobretudo quando a empresa ainda é nova no mercado.

Trata-se de uma espécie de quebra-cabeças em que é preciso:

  • Cobrir os gastos e despesas de produção ou fornecimento da solução que a empresa oferece;
  • Considerar o preço que os seus concorrentes estão cobrando por produtos ou serviços similares;
  • Pensar em quanto os seus clientes em potencial estão dispostos a pagar por essa solução;
  • Garantir que a empresa seja lucrativa.  

Nesse contexto, se você abaixar o preço do seu produto porque um concorrente está cobrando bem menos, mas não considerar os custos de produção, a sua empresa pode ter prejuízos.

Por outro lado, se você cobra um preço acima do praticado pelos concorrentes porque considera o seu produto de melhor qualidade, pode ser que você perca clientes e também tenha prejuízos. 

O grande desafio é gerar valor oferecendo vantagens que os seus concorrentes não oferecem para conseguir aumentar os preços sem perder clientes. 

Mantenha a comunicação com os seus clientes

Uma gestão eficiente não se baseia em um plano de marketing que busca convencer os clientes em potencial de que eles precisam da solução que a empresa oferece.

Pelo contrário, o sucesso de um negócio tem a ver com o conhecimento das necessidades dos clientes para que as suas soluções sejam cada vez mais adequadas.

E como saber quais são essas necessidades dos clientes? Comunicando-se com eles. Faça pesquisas de satisfação, peça feedbacks, ofereça vantagens para que eles retornem.

Busque aprimorar não só a qualidade do seu produto ou serviço tendo como base as demandas dos clientes, mas também o seu atendimento e o seu suporte pós-venda. 

Clientes totalmente satisfeitos não só voltam a comprar como indicam a sua empresa, atuando como promotores e até parceiros. 

Utilize a tecnologia a seu favor

Para seguir todas as dicas expostas acima, você precisa se basear em dados precisos e consistentes

Sem as informações adequadas, você não consegue garantir a satisfação do seu cliente, não faz uma precificação adequada, não controla o desempenho dos seus colaboradores e recursos e não efetua uma boa gestão.

Mas são muitos os dados com os quais você precisa lidar e calcular todas as variáveis manualmente vai tornar o seu trabalho muito mais demorado e induzir a erros.  

Por isso, nossa última dica é que você utilize um software de gestão financeira, para centralizar todas as informações relevantes para a sua gestão e otimizar o seu tempo.

Com um bom software, você pode acessar as finanças empresariais remotamente de maneira sempre segura, acompanhar os indicadores relevantes com apenas alguns cliques e melhorar o seu monitoramento financeiro. 

O Keruak foi considerado um dos melhores softwares de gestão financeira no portal B2B Stack, recebendo excelentes notas relacionadas às suas funcionalidades, facilidade de uso, suporte ao cliente e custo-benefício

Com ele, além de gerenciar e analisar todos os seus dados financeiros, você também consegue emitir notas fiscais e gerar relatórios ilimitados.

Além disso, como o setor financeiro depende diretamente de outros segmentos, o Keruak também possibilita a gestão de estoque e o acompanhamento das vendas.

E essas são apenas algumas de suas funcionalidades. Para conhecer melhor o software, você pode fazer um teste gratuito por 15 dias e conferir como ele vai ajudar na gestão eficiente do seu negócio. 

Facebook Comments

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.