Branding: o que é e como melhorar a gestão da sua marca

Sabe aquela marca que é tão conhecida a ponto de se tornar sinônimo de uma categoria inteira de produtos? Esse é o sonho de toda empresa, e um dos motivos desse fato ser possível é por causa da estratégia de “Branding” bem estruturada.

Enquanto associamos o marketing com sendo um método para atrair pessoas e aumentar as vendas de forma direta, é importante lembrar que existem formas mais sutis e eficazes de fazer isso, e o Branding é o exemplo perfeito disso.

Empresas de competência similar podem ter resultados muito diferentes pelo simples fato de uma investir na gestão de marca e a outra não.

Quer saber mais sobre Branding, e ver como ele pode ajudar você a conquistar objetivos maiores, principalmente se aliado com uma estratégia de Marketing Digital? Então vamos lá!

O que é Branding, afinal de contas?

Toda empresa tem uma marca, ou seja, um conjunto de valores que são observados por clientes e parceiros em potencial. Elementos como nome do negócio, identidade visual (logotipo, esquema de cores, etc.) e a reputação da empresa em si fazem parte dessa marca.

Em outras palavras, todo esforço feito para tornar a sua marca mais conhecida e respeitada é parte do trabalho de Branding.

Os resultados do Branding não são imediatos, o que leva muitos a diminuir a sua importância e focar só nas metas imediatas, criando estratégias que aumentem as vendas no momento.

Mas o que esses empreendedores não percebem é o longo tempo pelo qual uma estratégia de Branding bem-feita pode dar resultados. Pense, por exemplo, nas marcas conhecidas que citamos no início: há quantos anos as ações de marketing que as tornaram famosas aconteceram?

Por que o Branding é importante para o futuro da sua empresa?

Enquanto muitos ainda insistem em acreditar que a marca não faz diferença alguma, a realidade do mercado diz o contrário. Há vários motivos pelos quais o Branding deve estar entre as prioridades na sua empresa.

Dá até para ir além e dizer que uma estratégia de Branding pode definir o futuro da sua empresa. Dúvida? Então veja a seguir algumas razões para encarar o assunto dessa forma:

Escolhas de compra não são totalmente racionais

Nós gostamos de pensar que tomamos decisões de forma racional, que nossos instintos e impulsos não têm vez quando é hora de lidar com dinheiro, mas nem sempre é tão simples assim.

Existe uma série de fatores que nos afetam de maneira inconsciente na hora da compra. Os gatilhos mentais são prova disso. Uma boa frase, colocada no lugar certo e na hora certa, é capaz de fazer muita diferença nas vendas.

Outro exemplo de como nossas decisões são facilmente afetadas por fatores externos é o marketing de experiência. Marcas como Abercrombie & Fitch preparam suas lojas para afetar vários sentidos e estimular um aumento nas compras por impulso.

O Branding não é diferente. Marcas fortes e reconhecidas sempre vão levar vantagem sobre outras de menor expressão, mesmo que os produtos sejam similares em qualidade.

Branding aumenta a percepção de valor

Quantas vezes você já pagou mais caro pelo produto de uma marca conhecida para garantir que não receberia algo de qualidade inferior? Isso é muito comum nos mais diversos setores, e ilustra bem como a percepção de valor muda de acordo com o reconhecimento da marca.

Veja, por exemplo, os produtos da Apple. Em muitos casos, suas especificações técnicas são inferiores as de seus principais concorrentes, seu preço é bem mais elevado e existem certas limitações de compatibilidade com aparelhos de outras marcas.

No entanto, a empresa figura há vários anos como uma das mais valiosas do mundo, e lidera não apenas nas vendas, mas no desenvolvimento de novos produtos, sendo seguida pelo restante do mercado.

A lição é clara: quando a marca é forte, as pessoas se mostram dispostas a pagar mais por produtos e serviços, pois passam a enxergar maior valor neles.

Força de marca se sustenta com o tempo

Um dos fatores que mais devem te empolgar no Branding é sua longevidade. Uma estratégia bem planejada e executada pode ter efeito por longo tempo, e trazer bons resultados direta ou indiretamente.

Alguns deles incluem:

  • aumento das vendas diretas;
  • redução do custo de aquisição;
  • retenção maior de clientes;
  • capacidade de atrair e reter talentos para a empresa;
  • entre outros.

Pense também em como uma empresa cuja marca é sólida consegue se sair numa situação de crise no setor. É bem mais favorável se posicionar de forma estratégica para lançar novos produtos, apostar em mercados diferentes ou conseguir crédito para expandir.

Seu público ideal defende os mesmos valores da marca

O público que a sua empresa busca conquistar compartilha os mesmos valores que a marca defende. Sabe o que é isso? Um ponto em comum, elemento perfeito para estabelecer uma relação de confiança e convencer as pessoas a agir.

Quanto mais pontos em comum com a sua persona, maiores as chances de ter uma estratégia de marketing digital bem-sucedida, com conteúdo relevante para todas as etapas do funil, boas taxas de qualificação e conversão.

O foco principal do Branding é atingir a consistência de resultados, permitir que a empresa alcance um estado de receita previsível. Mas isso não o impede de favorecer as vendas a curto e médio prazo por melhorar a qualidade das estratégias, como um todo.

Como fazer a gestão de Branding com eficiência? Veja 6 dicas práticas

Uma boa estratégia de Branding tem o potencial de transformar o seu negócio para sempre, mas isso nunca vai acontecer se as ações não forem realizadas do jeito certo.

Pensando nisso, veja 6 dicas práticas que vão te ajudar a fazer uma gestão de marca impecável, e mudar de forma radical a visão que clientes, parceiros e concorrentes têm do seu negócio:

1. Entenda quais são os valores da empresa

Os valores da marca representam a mensagem que deve ser passada para o público em cada ação, grande ou pequena, e também como a marca deseja ser vista.

Se os envolvidos na estratégia de Branding não tiverem esses valores claramente definidos, toda a comunicação será inconsistente e artificial, o que gera desconfiança.

Por outro lado, quando todos entendem qual é a “personalidade” da marca e como mostrá-la de forma prática, os valores serão transmitidos naturalmente, e a sua persona vai se identificar com eles rapidamente.

2. Não abandone o DNA da marca

Não importa qual seja o canal usado, as ações de Branding devem sempre manter um padrão que será facilmente reconhecido pelo público. Esse é o DNA da marca.

Pense em uma pessoa que a cada momento tem ideias diferentes sobre o mesmo assunto, fala com sotaques distintos e apresenta mudanças de humor. Ela dificilmente vai gerar confiança em quem estiver ao seu redor.

Da mesma forma, se em cada ação de Branding a empresa adotar uma atitude diferente, seja no modo de se comunicar, na proposta ou nos valores que serão defendidos, ninguém vai identificar a real proposta da marca.

3. Não pense só no “agora”

Não baseie todas as suas ações de Branding só pensando nos resultados que terão a curto prazo. Não é assim que funciona.

É claro que algumas iniciativas vão se mostrar relevantes em pouco tempo, mas outras exigem um pouco mais de paciência. Pensar adiante é o que vai contribuir para as ações mais impactantes.

Se não acreditar, pode pensar em algumas das marcas mais valiosas do planeta, como Nike, Apple e Coca-Cola.

Suas principais ações de Branding não tinham os resultados imediatos como objetivo principal, mas geraram bilhões em lucros por anos depois de serem feitas.

4. Preze pela construção da cultura corporativa

O que a construção de uma cultura forte, que se relaciona com os valores da marca, tem a ver com a maneira que o público a enxerga? Em uma palavra, TUDO!

Mas vamos explicar em maiores detalhes: os colaboradores são encarregados de transmitir a mensagem de uma marca. Como eles farão isso de forma eficaz se não acreditarem na própria mensagem?

Se a empresa não tiver uma cultura interna que condiz com sua mensagem, pode até conseguir fingir por um tempo, mas no primeiro sinal de crise todos vão saber que a situação real é outra.

5. Acompanhe a percepção que os clientes têm da marca

O que os clientes já pensam da sua empresa, e como isso se aproxima (ou se distancia) da imagem que você deseja criar para ela? A única forma de saber disso é acompanhando o que eles dizem, seja nas redes sociais ou em entrevistas diretas.

As respostas vão ser úteis para fazer ajustes e criar novas iniciativas de Branding que cubram as deficiências apontadas.

Por melhor que seja o seu planejamento, sempre vai ter algum detalhe que só os clientes conseguirão apontar. Então, nunca vire as costas para essa fonte tão rica de feedback.

6. Invista na produção de conteúdo

O marketing de conteúdo já se provou uma das principais ferramentas de Branding que existem. Poucas coisas têm um poder tão grande de envolver e motivar as pessoas quanto uma história bem contada.

Então, produzir conteúdo relevante e interessante para o seu público, sem se preocupar demais em vender, vai fazer toda a diferença para posicionar sua marca como autoridade no seu nicho de mercado e estabelecer a confiança necessária para a hora certa de oferecer um produto.

Trabalhar a gestão da sua marca pode não parecer algo tão importante agora, ainda mais se tudo estiver bem. Mas acredite, deixar o Branding de lado pode custar muito tempo e dinheiro, sobretudo a longo prazo. Por outro lado, se seguir as dicas que viu aqui, você vai colher frutos excelentes por muito tempo.

Gostou do conteúdo? Não deixe de continuar aprendendo e confira nosso guia completo sobre Inbound Marketing!

Conteúdo produzido pela equipe da Rock Content!