Como implementar um modelo de negócios de SaaS bem-sucedido

Criar um modelo de negócio SaaS de sucesso é um desafio no atual cenário do mercado digital. Principalmente, devido a concorrência, pois os Softwares as a Service (SaaS) — softwares como serviço — se multiplicam em vários setores.

O segredo do sucesso, entretanto, está no começo do negócio durante a fase de planejamento e construção do modelo de negócios

Se você tem expertise técnica, mas precisa de uma ajuda extra na parte de gestão, continue lendo e aprenda como criar um modelo de negócio SaaS, seguindo a metodologia Canvas.

Modelo de negócio SaaS: passo a passo

A metodologia Canvas é um modelo visual e colaborativo para criar as bases de um novo negócio.

O modelo de negócio SaaS que vamos explicar em detalhes abaixo possui nove partes básicas relacionadas entre si. Confira!

1. Segmentos do cliente (Customer segments)

Os segmentos de clientes no modelo de negócio SaaS são o público-alvo que a empresa vai atender com seu serviço. 

Depois da primeira segmentação de marketing, você pode dividi-lo em subgrupos menores para segmentar ainda mais a comunicação e as estratégias de abordagem. 

O uso dos softwares SaaS vai além das áreas de TI das empresas. Hoje, muitas soluções são voltadas para utilização em larga escala, ou seja, pessoas de vários departamentos podem ter o benefício da automação.

Como estamos falando de soluções voltadas para negócios é importante separar o usuário final de quem toma a decisão de compra dentro da empresa. 

Sua comunicação pode atingir os dois, mas o objetivo será focar em convencer quem toma a decisão. 

Complete sua leitura com o artigo: Como criar personas em 5 passos simples para o seu negócio.

2. Proposições de valor (Value propositions)

A segunda parte do modelo de negócio SaaS são as proposições de valor, ou seja os motivos pelos quais seus segmentos de cliente pagariam pela sua solução.

Ter acesso a um programa com configuração na nuvem, ajuda a trazer mobilidade para o trabalho. Mas muitas vezes a vantagem está na automatização pura e simples das tarefas.

Um software SaaS de contabilidade, por exemplo, é útil ao cliente pela sua capacidade de automatizar algumas tarefas, tornando o trabalho mais rápido.

Outros exemplos de propostas de valor são rápida implementação, maior escalabilidade para o negócio, investimento baixo, etc.

Por isso, é importante pensar e elencar os motivos para que na hora de criar um anúncio de divulgação, você forneça os argumentos certos.

3. Canais (Channels)

Uma vez que você sabe para quem está falando e como seu negócio ajuda os clientes em potencial, você precisa dos canais certos para a distribuição e vendas.

A maioria dos modelos de negócio SaaS criados pelas empresas atualmente fornece acesso através do próprio site via login e senha.

Mas outros também criam um versão em formato de aplicativo para dar ainda mais mobilidade ao produto e permitir o acesso via celular.

Entre as opções também estão os softwares SaaS que podem ser integrados a outras plataformas via API.

Cada um desses canais, exigirá um grau de habilidades para fazer a instalação e uso nas empresas.

Dessa forma, é importante e estratégico definir qual canal de distribuição será mais bem recebido pelo seu público-alvo.

4. Relacionamento com o cliente (Customer relationship) 

O relacionamento com o cliente é outra parte importante do modelo de negócio SaaS. Você deve definir como a empresa vai conseguir as informações para analisar e promover um serviço de suporte adequado. 

A vantagens dos serviços SaaS é que é possível acessar tanto as atividades de clientes individuais quanto analisar informações sobre os padrões gerais de uso.

Esses dados vem da própria infraestrutura técnica da ferramenta que é configurada para gerar informações.

O cliente como usuário também é uma fonte de informações valiosas que vai permitir melhorar muitos pontos, fornecendo feedbacks.

Assim, a equipe de suporte consegue atender qualquer necessidade de forma rápida através de suporte online ou via telefone.

O relacionamento com o cliente é fundamental para o sucesso de qualquer modelo de negócio SaaS.

Leia também: Como montar um funil de vendas usando 3 conceitos fundamentais.

5. Fluxos de receita (Revenue streams)

Essa é a parte do modelo de negócio SaaS em que você deve pensar como será feita a cobrança para gerar um fluxo de receita sustentável.

Cada tipo de software tem seu formato de precificação adequado.

Grande parte dos serviços existentes no mercado, oferece planos para diferentes níveis de usuários com valor único mensal e vantagens para os planos anuais.

Mas também existem softwares que cobram por transação como programas de envio de campanhas de SMS, por exemplo. 

Também vale a pena pensar em planos e testes gratuitos que vão afetar a receita, mas podem ser estratégicos para atrair clientes

6. Recursos-chave (Key resources)

Os recursos-chave são o conjunto de ativos que fazem seu serviço SaaS funcionar. 

A estrutura de código básica do programa é o primeiro ativo desse setor. É preciso contar uma equipe capacitada em programação e desenvolvimento de sistemas para criar todas as funcionalidades.

Depois, encontrar um servidor que consiga processar rapidamente as atividades simultâneas do software à medida que a empresa aumentar o número de usuários. 

É importante pensar nessa etapa do planejamento do modelo de negócio SaaS se o o provedor escolhido suporta múltiplos clientes online, se os recursos carregam rápido, a velocidade de inicialização, etc. 

7. Atividades-chave (Key activities)

As atividades-chave são executadas pelos recursos-chaves, ou seja, são todas as funcionalidades que o seu software SaaS vai fornecer ao cliente.

Essa parte e a anterior do modelo de negócio SaaS é bastante técnica e você deve contar com seus desenvolvedores para pontuar e filtrar as ideias que serão realmente aplicáveis.

Para que o produto evolua e agregue novas funcionalidades com o tempo, é importante ter uma equipe de desenvolvimento focada na análise de melhorias. 

8. Parcerias-chave (Key partnerships)

As parcerias-chave também são fundamentais para o sucesso do modelo de negócio SaaS que você criar para o mercado.

Essas parcerias estão relacionadas a outros provedores de serviço que vão fazer seu software funcionar.

Por exemplo, a equipe de desenvolvedores será interna ou contratada por meio de um fornecedor terceirizado? Algumas empresas preferem (e podem bancar) uma equipe interna ativa dentro do negócio.

O provedor é outro parceiro-chave que a maioria das empresas terceiriza. Como se trata da parte operacional, que não é o core business do contratante, o apoio da empresa contratada fornece a expertise e estrutura necessária. 

9. Estrutura de custos (Cost structure)

Todas as partes explicadas anteriormente, afetam a estrutura de custos do modelo de negócio SaaS. 

Nesta fase do planejamento, é avaliado o montante de investimento que será necessário para lançar e manter o serviço ativo. 

No caso do software como serviço, seu custo está relacionado a infraestrutura para suportar o volume de uso. 

Além disso, as necessidade futuras depois que o negócio escalar a primeira fase de usuários, também deve ser considerado.

Coloque seu modelo de negócio SaaS em prática

O processo não é simples, mas a metodologia Canvas ajuda orientar a criação de um modelo de negócio SaaS bem-sucedido. 

Dessa forma, você e sua equipe passam pelos pontos básicos para orientar a criação de um produto realmente eficiente. Que tal empreender?

A LAHAR é um software de automação de marketing com mais de 700 clientes e 10 milhões e-mails disparados por mês. Ao automatizar suas tarefas diárias de marketing é possível focar em melhorar sua estratégia de nutrição de leads, inbound marketing e vendas. 

Com um sistema completo ajudamos sua empresa crescer mais. Crie sua conta e experimente grátis por 15 dias.

Facebook Comments

Deixe uma resposta