Aplicando os 8 Ps do marketing digital na sua estratégia

O conceito de gerente de marketing como um “misturador de ingredientes” – um chef que reúne componentes básicos para preparar um jantar lucrativo – data de 1948, quando foi usado para explicar como o marketing realmente funcionava.

Na verdade, qualquer gerente de marketing que enfrente um novo produto ou um novo desafio reconhecerá o conceito mesmo que nunca tenha ouvido o termo. Como gerente com alguma experiência, já se sabe em quais pontos se deve prestar atenção e otimizar e o faz frequentemente por instinto.

Por melhor que seja a experiência e o instinto, pode ser útil quantificar e estudar os diferentes elementos para garantir a máxima eficácia.

Foi isso que E. Jerome McCarthy fez em 1960, propondo uma classificação de “quatro P’s” que ainda usamos hoje. Usando os Quatro P’s, os gerentes de marketing podem eliminar o ruído, a confusão e identificar os elementos pelos quais devem se responsabilizar para garantir o sucesso dos negócios.

Assim como muitas outras coisas inventadas há mais de 50 anos, os quatro P’s também foram atualizados para refletir as necessidades das empresas modernas.

Em vez de um foco total nos produtos, os novos oito P’s são flexíveis o suficiente para incluir o papel do atendimento ao cliente e se adaptar às empresas que vendem serviços em vez de produtos.

Vamos considerar os quatro P’s originais primeiro e depois exploraremos os “quatro novos P’s” que juntos formam os 8 P’s do marketing digital.

Entendendo os 8 P’s do marketing digital

Este post delineará os 8 P’s do marketing digital. Isso inclui os 4 originais:

  1. Produto
  2. Preço
  3. Local (em inglês, Place)
  4. Promoção

E o mix de marketing estendido:

  1. Pessoas
  2. Processos
  3. Evidências físicas (em inglês, Physical evidence)
  4. Parcerias

8-ps-marketing-digital

1. Produto (Product)

O núcleo de qualquer esforço de marketing, o produto deve ser algo que os clientes desejam. O melhor marketing do mundo terá dificuldade em vender um produto para o qual não há demanda.

Portanto, o gerente de marketing deve entender como o produto ajuda o cliente a solucionar um problema ou atingir uma meta. E também deve entender a relação do produto no mercado – como ele é superior à concorrência? Uma das ferramentas mais úteis disponíveis neste estágio é o teste de produtos.

Existem diferentes tipos de testes de produtos. Colocar um produto nas mãos do cliente permite-lhe obter insights indisponíveis de qualquer outra forma.

  • O que o cliente acredita que o produto fará por eles?
  • Como eles veem seu produto em relação à concorrência?

Lembre-se de que “o cliente tem sempre razão” – o que eles acreditam é o que usarão para escolher o que comprar – e é fácil entender como essa informação é mais valiosa do que qualquer coisa dita em uma discussão ou sala de reuniões.

2. Preço (Price)

Ao contrário da opinião popular, o preço não é a principal razão pela qual os clientes compram. Um preço inadequado ainda pode custar muito dinheiro – seja em vendas perdidas ou em “dinheiro deixado na mesa”.

Portanto, verifique se os preços dos produtos e serviços são adequados tanto à realidade do mercado quanto ao custo de entrega.

Muitas vezes, a alteração dos termos de venda ou a combinação de produtos pode criar um efeito insignificante no custo, ao mesmo tempo em que cria um tremendo efeito no valor percebido.

Esses “bônus extras” podem custar quase nada, ao mesmo tempo em que tornam seus preços instantaneamente mais atraentes.

Algumas estratégias de preços diferentes que uma empresa pode escolher são:

  • Orientado pelo mercado/competitivo
  • Psicológico
  • Penetração
  • Baseado em custo

3. Promoção (Promotion)

A promoção é o coração do que a maioria das pessoas considera “marketing”. A promoção engloba todos os aspectos de embalagem, publicidade, metodologia de vendas e vendedores.

As promoções podem usar itens pequenos ou concursos para induzir o cliente a se envolver com a marca ou o produto. Pequenas mudanças na promoção podem produzir mudanças drásticas em seus lucros.

Um pequeno ajuste na sua publicidade, por exemplo, pode facilmente duplicar suas vendas. Enquanto você trabalha, tenha em mente que nenhum marketing funciona para sempre.

Esteja preparado para desenvolver novas abordagens, estratégias e ofertas de forma contínua, a fim de manter-se à frente dos gostos em constante mudança do mercado digital.

4. Lugar (Place)

Onde o cliente encontra o vendedor é o “lugar”. Os métodos de vendas diretas online colocam o lugar na casa ou no escritório do cliente. Outras empresas usam estabelecimentos de varejo ou feiras como seu “local”.

Em muitos casos, você verá que uma combinação desses métodos produz os melhores resultados.  Existem dois tipos de lugar: o local transacional e o local de entrega.

  • Local transacional – essa seria a capacidade de pagar por produtos ou serviços online (geralmente o site do vendedor);
  • Local de entrega – pode ser online (download ou código) ou offline (loja, ponto de coleta ou entregue diretamente ao cliente), dependendo do produto.

Agora, vamos examinar os “Novos Quatro Ps”, que estendem esse modelo a empresas baseadas em serviços e a um mundo orientado ao atendimento ao cliente.

5. Pessoas (People)

Selecionar, recrutar, contratar e reter as pessoas que farão o trabalho que precisa ser feito está entre as partes mais importantes dos negócios.

Muito de como os clientes avaliam a experiência de serviço depende da pessoa que os entrega. Profissionalismo e cortesia percorrem um longo caminho em qualquer negócio.

Outros atributos tornam-se críticos dependendo de que serviços estão sendo oferecidos – discrição em uma prática psiquiátrica ou tato em serviços funerários, por exemplo.

6. Processo (Process)

Por mais tentador que seja pensar no processo em termos de suas necessidades, o processo de marketing é, de fato, o que seus clientes experimentam. São os sistemas pelos quais o cliente obtém acesso ao serviço oferecido.

Portanto, projete seu processo para maximizar a satisfação do cliente. Isso envolve quatro áreas principais:

  • Opções de preços
  • Métodos de compra
  • Estruturas de canais
  • Sistemas de contato com o cliente

Os problemas de processo que são mais irritantes para um cliente são os elementos do processo que colocam a conveniência do fornecedor à frente do cliente.

7. Evidência física (Physical Evidence)

Todos os traços visíveis e tangíveis de seu negócio que um cliente encontra para ajudá-los a avaliar um produto ou serviço antes de comprá-lo são a evidência física.

Publicidade, sinalização, sua área de recepção e até mesmo a vestimenta da equipe fazem parte da evidência física do seu negócio. Use evidências físicas para se destacar da concorrência e criar uma imagem de marca forte.

Em um ambiente online, como um site, os clientes avaliarão uma empresa com base na facilidade de uso, na disponibilidade e no desempenho do site da empresa.

Em um ambiente offline, como na loja, os clientes serão influenciados por fatores como cheiros, sons (música) e até que ponto a loja é visualmente agradável. O ambiente offline também leva em consideração o atendimento recebido pelo cliente.

8. Parceria (Partnerships)

Parcerias referem-se à atividade de duas organizações, alavancando suas forças complementares, a fim de alcançar benefícios mútuos. Parcerias podem ser criadas para ajudar com os elementos “lugar” e “promoção” do mix de marketing.

Cada elemento dos 8 P’s do marketing digital deve ser consistente com o outro. Faça o seu preço corresponder à sua percepção da qualidade do produto e da sua embalagem, assim como garantir que seu pessoal forneça serviço de acordo com seu preço.

A LAHAR é um software de automação de marketing com mais de 2.000 fluxos de automação criados e 5 milhões contatos administrados. Ao automatizar suas tarefas diárias de marketing é possível focar em melhorar sua estratégia de nutrição de leads, inbound marketing e vendas.

Com um sistema completo ajudamos sua empresa crescer mais. Crie sua conta e experimente grátis por 15 dias.